segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Comunidades

Papos de comunidades....

É certo uma sub ser rebelde?
É certo uma sub não querer irmã de coleira?
É certo uma sub impor seus limites?
É certo uma sub ter ciúmes?
É certo uma sub passar as senhas de não sei o que p/ o Dono?
É certo uma sub ficar de castigo?
É certo uma sub procurar maninha de coleira p/ o Dono?
É certo uma sub ter orgulho?
É certo isso? É certo aquilo????
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAA (ainda enlouqueço com tudo isso)

E ainda tem mais.... As discussões que insistem.... entra tópico e sai tópico entram novos praticantes e tudo se repete....

“Submissão não combina com rebeldia”
“Uma submissa não pode ser masoquista”
“Pensamentos baunilha”
“Ela quer marido e não Dono”
“Submissas de alma”
“A liturgia”
“A relação 24/7”
As crises de identidade é o pior ...

Sempre os mesmos assuntos, sempre os mesmos participantes... e a gente não resiste, quando vemos estamos lá... dando nossos pitacos sobre os assuntos. E O PIOR.
QUERENDO TER SEMPRE A RAZÃO!

Por mais que venham aquelas frases humildes no final: “ É apenas a minha humilde opinião” Um, sempre quer mais que o outro, fazer prevalecer a sua idéia.

É válido isso?
Pode ser...

Mas acaba que todos se perdem em MUITAS “regras”.

E aqueles que não tem opinião, não sabem nada de nada, caem de para quedas no meio e para se tornar queridinhos, viram papagaios e saem repetindo o que agradam a todos...

Tiram sarros criticam os que pensam diferente.... Defendem que para viver o BDSM devem ser exatamente como a “cartilha” (de sei lá quem inventou) manda.

Tudo é um porre, tem hora que dá vontade de mandar todos se danarem e.... enfim...

Sabe aquela coisa de “Maria vai com as outras” p/ entrarem na panelinha?

Tipo: Quando estou com vc., penso como vc. quando estiver com fulana pensarei igual a ela, assim agrado a todos sempre. E a personalidade própria?

Todos falham, todos tropeçam, a grande maioria se arrepiam em sonhar que o Dono pensa em ter mais uma....
A grande maioria das que o Dono tem mais que uma, se mordem de ciúmes.... mas preferem usar a mascara que sempre agrada a todos.

A grande maioria se apaixonam, gostariam de ter mais do que uma relação SM. Mas preferem esconder.... preferem entrar em debates discutindo as subs que procuram mariDOM no meio.

Pq. tudo isso?

Pq. a preocupação de todos em mostrar essa imagem de SM?

Pq. o medo de assumir o que somos... os seres humanos que independente de SM ou baunilhas sentem, se emocionam, se sensibilizam, amam, sofrem, tem dias felizes e outros tristes como qualquer ser humano.

Seria mais fácil mostrar um perfil desequilibrado???

Pq. acabam por passar essa imagem, quem tanto se fecha em cartilhas, em mascaras, personagens e acaba entrando em conflitos com seu verdadeiro eu.

Eu sou assim, amo, sinto ciúmes, sinto insegurança, medo, em outros momentos sou feliz, me apaixono, sorrio, choro, me descabelo por hora, tiro sarro de mim mesma depois, sou um ser normal...
Erro, acerto, caio, levanto...Não estou sempre certa, não estou sempre errada.
Não sou exemplo p/ ninguém e nem desejo que me sigam... sou apenas ou SOU, mais uma vida nesse espaço.
Sou uma praticante de BDSM, amo servir, amo pertencer, amo ser DOMINADA, posso não ser e/ou não concordar, não ter prazer de ser igual as chamadas submissa de alma ou as chamadas masoquistas, chamadas submissas avulsas, escravas sexual, escravas de sessão, kajiras, subs virtual e sei lá mais o que.... são tantas formas de praticar o BDSM...

Eu tenho tesão, me encanta ser Dominada, me enche de prazer poder dizer que pertenço a alguém... me atrai ter um Dono controlando minha vida, meus passos,. Foi escolha minha me entregar a um Dono que queira o controle total... que eu tenha que dar satisfação de cada passo, pedir autorização antes de cada ação... Tudo isso me atrai e foi escolhido por mim esse estilo de vida.
O que sou e como lidarei com meus sentimentos é o que menos importa p/ os outros...
Se eu tiver fetiches em sessão de provocar... de querer ser pega na marra, de gostar de ser colocada de joelhos ao invés de me ajoelhar, isso faz com que eu seja menos “BDSM”? rss. Ou ainda me torna uma masoca e não uma submissa?

O importante é sempre ser se permitir ser vc mesma e satisfazer ao companheiro(a) e a si própria sempre. A relação, seja ela qual for, tem que estar sempre bom p/ todos os envolvidos... e conseguimos isso com ajustes, um cede aqui... o outro ali... e assim vai.

Me estendi demais.... mas é que lendo comunidades tive vontade de escrever p/ mim mesma.

De repente é melhor apenas um desabafo do que tentar colocar em debate sua “humilde opinião” rsrs e maneira de pensar e viver.


.

Um comentário:

{ÍsisdoEgito}JZ disse...

Querida, seja e faça tudo o que lhe dê prazer, sem se imortar com rótulos......
Adorei teu post.....
Eu sou ciumenta, sou rebelde quando acho que vale à pena, sou casada, e independente de ser infiel ou não ao meu marido, vivo meu lado BDSM, e vou me entregando, vivendo os prazeres e as dores de ser submissa, escrava, masoca, cadela, ou que Ele quiser que eu seja, pois isso é o que de fato, importa, o que Ele deseja que somos.
Quantas vezes, tenho a deliciosa vontade de passar o fim de semana com o Dono , mas sem poder, entrei sabendo dessas condições, mas apostei e me realizo assim.
E o mehor, me apaixonei por Ele e vice versa.....e não escondemos isso de ninguem.....besteira isso, ninguem deixa de ser mais ou menos por se apaixonar, rsrsrs.....perde quem se priva disto.
Beijos e felicidades em teu caminho.
{ÍsisdoEgito}JZ