terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Parando para um momento de reflexão


Me lembro como se fosse hoje do meu primeiro contato com o BDSM.
Foi através do orkut... foi tão maravilhoso parecia que eu estava renascendo....
Me lembro de eu ficar horas trancada em meu quarto, muitas vezes passava a noite toda me deliciando com os contos, com fotos que via nos sites.... até que criei coragem, fiz um perfil, um MSN e comecei a interagir com as pessoas.
Tive Protetor, Mentor, Mestre, estava no céu e fui mergulhando cada vez mais.... era tudo mágico p/ mim, que delicia poder viver o que eu sempre escondia, o que achava insano, muitas vezes até doentio.
Não tive pressa, dei um passo de cada vez, não queria banalizar uma entrega.... em tudo que faço na vida, procuro me entregar, procuro dar o melhor de mim e no BDSM não foi diferente.
Conversei com muitas pessoas, fiz muitos colegas, fiz amigos que levarei para o resto da vida.
Discuti e discordei de muitos, fui por muitas vezes questionada sobre minha submissão.
Como podem me questionar?
Como uma pessoa que troca algumas palavras comigo em um MSN pode querer duvidar de minha submissão, pode querer duvidar de algo que sempre convivi, que por muitas vezes chorei por ser assim?
Ninguém melhor do que eu p/ ter a certeza de meus desejos, do que sou, enfim....
Eu sempre amei me submeter.... sempre sonhei em pertencer a alguém, em ser cuidada, guiada por um alguém, um Homem com atitudes que me permitisse ser livre e que me tomasse como Tua.
Aos poucos fui querendo defender o que eu acreditava.... BDSM não era p/ mim uma simples filosofia de vida, não era um simples fetiche, era uma forma a mais de amar, foi então que comecei a brigar pelo que acreditava (muitos chamavam a atitude como sendo “costumes baunilha) eu achava normal o ciúme na relação, por exemplo, pensava que o Dom poderia me ensinar a lidar com ele, mas o ciúmes não deixava de existir, nunca aceitei essa coisa de “irmãs de coleira” e acho que isso é mais um motivo para que apareçam tantos se dizendo Doms quando na verdade querem um sexo fácil... quem é culpado, o Homem que se aproxima querendo um sexo? Não... ele está na dele, tentando se satisfazer..... afinal, p/ quem ta de fora é o que parece mesmo.
Foi então que abri uma comunidade “Dom’s e Seus Haréns”, a princípio nem imaginei que teriam participantes, mas aos poucos, eu e a Naara (grande amiga) fomos conquistando os participantes com nossas curiosidades que levávamos aos tópicos.

Nossa, quantos e quantos tombos levei nesse virtual..... conheci MUITOS, perfis fakes, submissas se passando por Dom, já cheguei ser enganada por meses... rolava a desconfiança mas eu queria certezas pára desmascarar e isso me dava um trabalho.... era desgastante demais....
É comum, muitas são enganadas, pq. o Dom pode simplesmente dizer:
- Sou o Dom quem manda sou eu, me mostrarei quando achar que devo fazer.
Eu mando e vc obedece e por ai vai..... a sub cai... é fácil cair e ir cedendo.... abrem a web cam e mais ainda, abrem suas vidas e quando vão acorda.... (rss) já foram enganadas...
Ai vem a pergunta, mas como pode uma submissa conseguir fazer um fake de um Dom e enganar, ela é sub não é Dom?
Simples, acho que tudo começa realmente com a dominação psicológica, e a mulher é boa nisso, temos uma sensibilidade, normalmente conseguimos “manipular”.

Bom, cansada de bancar a detetive de orkut, resolvi viver, deixar que quem fosse tão fraco e quisesse cair nessa que caísse, resolvi ser egoísta e só pensar em mim, foi então que criei minhas regras,...
Quer me conhecer, quer uma negociação, quer minha submissão???
Conquiste-a.
Enquanto estamos negociando direitos iguais.
Quer que eu abra a cam?
Abra também.
Quer meu telefone, residencial, celular?
Passe o Teu também
Quer que eu ligue?
Me ligue também.
Que regra é essa de que a sub deve ir ao encontro do Dom?
É um inicio, existe a insegurança, medos, pq. não o Dom não ceder e passar a segurança p/ sub, indo ao encontro dela?
Sem contar que seria um cavalheirismo isso.

Acho que o começo de tudo é uma boa e clara conversa.
Deve-se ser muito sincero sempre e principalmente no início, onde estamos avaliando se o que o outro oferece é compatível ao que vc procura e ao que pode oferecer.

Entrega.... que entrega é essa da submissa, quem inventou que a “regra” de que a submissa fica feliz vendo o Dono feliz?
Nem a mãe vive somente da felicidade de um filho.

Acho que tudo é uma troca.... eu me submeto pq. tenho prazer nisso, gosto de dar prazer ao Dono, gosto da idéia de pertencer a Ele, mas em troca recebo a atenção, o carinho o cuidado. A entrega deve ser de ambos!

Na teoria vejo ser tão citado os deveres dos Doms, os direitos da sub, mas na prática isso pouco acontece, são raros os casais (raros mais existem) que a entrega é mutua.

Uma sub não pode cobrar, não pode questionar, deve-se obedecer e ponto.

Hum.... ok, aceito, desde que o Dom saiba conduzir a isto, estando presente, passando confiança a sub.sendo VERDADEIRO, pq o que vejo tbm são os Doms cobrando lealdade das submissas mas não lhes são leais.

Seria tão mais fácil o Dom trabalhar a confiança e a segurança com sua submissa para que ela aceitasse uma irmã de coleira, por exemplo, ou uma sessão com mais uma, mas muitos Doms, preferem “fingir” que aceitam a proposta da sub e ser mentiroso.

(DEIXANDO CLARO QUE ESSE POST NÃO SERVE DE ALFINETADA A NENHUM DOM ESPECÍFICO, ESTOU FALANDO DE FORMA GERAL MESMO).

Pôxa, vi tantas coleiras relâmpago nesse orkut, vi submissas chorar, se decepcionar, deletar e refazer perfis.... eu não queria ser mais uma, por isso estudei muito antes de me entregar a um Dom.

Em um ano e meio de perfil foi a primeira coleira que usei, achei que era o momento, eu precisava viver, precisava ter certeza do que eu era, o desejo em pertencer sempre foi enorme, mas sempre consegui segurar a onda, esperar encontrar um da forma que eu queria e que me conquistasse, que respeitasse meus limites, que não me visse como bonequinha que aperta a barriguinha e diz sim ou não SENHOR, desejei pertencer a alguém que fosse, de preferência, solteiro, que não desejasse outra ou outras submissas, que ter a mim lhe bastava, que tivesse o prazer de me conquistar todos os dias, que me moldasse ao Teu prazer, que fizesse de mim a melhor, não para se aparecer, mas para se orgulhar.

Em troca ele teria uma submissa completa e entregue totalmente.

Muitas se intimidam em assumir que querem isso, talvez por medo de ouvir (e isso não tem escapatória):
- Ah, mas vc procura um namorado, procura um marido e não um Dom!

Quanta ignorância nessa frase.... acha que uma mulher, sendo ela independente, personalidade forte, determinada, iria vir ao BDSM p/ procurar marido?????
Tem tantas formas melhor de uma mulher assim encontrar marido.

Se estamos aqui, cada um com seus motivos, que acredito que todos de certa forma ligados ao BDSM, seja por serem submissas, por serem masoquistas, por serem fetichistas, enfim....

Se acontecer de virar namoro e depois casamento é conseqüência....

Pois é.... falei, falei, p/ chegar a conclusão de que eu pensei ter encontrado meu lugar.....
Eu poderia ficar quietinha com minha coleira, me preocupando com o que as pessoas iriam comentar, mas eu não consigo ser assim.
Era o momento, eu precisava me "entregar", precisava sentir o que é pertencer, precisava viver, precisava conhecer uma sessão, precisava ter um DONO.....
E assim fiz, vivi, tive a sessão e não me arrependo de nada, foi legal, foi do jeito que eu queria, experimentei cordas, correntes, velas, prendedores, chicote, cinto, dog play, banho gelado, tive tesão, frio na barriga, foi legal mesmo....
O que faltou???
Muito perto do que busco.

Descobri (e percebi que não teria outra forma senão experimentando ) que eu estou mesmo em lugar errado, que o BDSM parece ser mesmo tudo que eu sempre critiquei, que não adianta eu ficar brigando e querendo construir o meu BDSM, ou eu me encaixo a esse ou saio na boa.

Para ser sincera não estou saindo na boa, estou triste, muito triste, com um sentimento de derrota, de frustração....

.... De não saber então quem sou.... quês sentimentos são esses que por anos me acompanham e quando penso que encontrei meu lugar, que encontrei o caminho para minhas realizações, que poderia enfim tirar aquela menina, aquela mulher que por anos deixei trancada no armário, quando penso que me descobri, que posso viver um sonho, percebo que me enganei.... que preciso trancar essa parte de mim novamente no armário, pq. ainda não encontrei espaço p/ ela, pq. ainda não sei quem sou.

Foi válido, acho que de certa forma aprendi, cresci como mulher.

Meu beijo, meu carinho e meu respeito à todos.

yara, myara, Annye, {Annye} ou simplesmente Eu mesma!

6 comentários:

Ísis disse...

Querida, pensamos tão parecido em tantas coisas, somos do mesmo signo, e sei por experiência propria que........a gente não desite nunca!!!
Essa conduta, não faz parte dos nossos planos, se colocamos algo em nossa cabeça como objetivo, vamos com determinação e ponto final, doa a quem doer, inclusive à nós mesmas....tô certa ou errada?
Agora, devemos sim, respeitar nossos momentos de reflexão. Então, pare, reflita, melhore , mas não deixe guardado por muito tempo mais, esse seu lado delicioso de querer se entregar.....
Continue em seu caminho de buscas, não se entregue a qualquer um, e com certeza, quando voce menos esperar, teu Dominador aparecerá.....e poderá ter o prazer de comandar uma submissa totalmente plena e capaz.
Beijosssss carinhosos
{ÍsisdoEgito}JZ

Annye disse...

Obrigada pelo carinho e amizade sempre, linda.
Olha... então eu não consigo mesmo deixar de ser o que o sou e quando traço um objetivo, sigo-o mesmo.
O que acontece é que estou percebecendo que só não posso me intitular BDSM, pq tenho presenciado coisas que não concordo, que não é o que procuro, nem por isso deixarei de respeitar e amar as pessoas que praticam o BDSM.
Simplesmente percebi que não é p/ mim, o que gosto pode-se dizer que é parecido com BDSM, mas ainda sou careta demais p/ me dizer praticante de BDSM... só isso. (rss).
Agora a submissa bravinha que gosta do jogo da sedução baseado em BDSM, essa tá aqui, não tem jeito, não morre mais não. rsrsr
Só não sei denominar o que sou.... e nem é necessário, mas sei que o desejo em me submeter tá aqui dentro de mim, só permanecerá trancadinho, mas tá aqui. rss
Beijos Ísis, te gosto, viu?
Annye

victor_deficiente@hotmail.com disse...

Me identifico com a tua forma de ver o bdsm.

Se quiser conversar comigo, meu msn é victor_deficiente@hotmail.com

Katrina disse...

Menina vc me fez chorar com seu relato, pois tenho tantas incertezas, tantas duvidas, quanto as que vc demonstra, como vc não consigo ter um namorado e um Dono, não sei lidar com isso não, acredito que tudo tem que estar na mesma relação. Tenho pouco tempo de BDSM, mas eu entrei neste mundo junto com um, colocarei aqui amigo/amante, pra mim era um namoro, pra ele não, e posso dizer que fui feliz enquanto durou, porem desejei mais, muito mais, queria realmente poder me entregar a ele, e ter o retorno desta entrega, então um dia desisti.... chorei muito, senti muita falta, acabei voltando, tendo outras sessões, outros encontros, ouve o pedido de ser recolocada a coleira, porém ai, mais madura, eu me impus e disse que queria mais, queria um DOM/Namorado, ele me negou... sofri novamente, procurei, e procurei, não tive pressa, então um belo dia foi por um convite que reencontrei uma antiga paixão, ainda estamos nos conhecendo no mundo BDSM, pois, ele nem sabia o que era isso, mas sim estou feliz, e acredito que vc tb minha amiga encontrará este Dom, que vai saber tocar sua alma, que saberá dar o devido valor que a sua entrega tem.
Faço votos que seja breve, mas acredite isso vai acontecer.
beijos
(katrina)_M

Anônimo disse...

Olá!
Puxa...amei... amei prq eu vivi BSDM durante 6 anos..com um mesmo DOM saí prq fui enganada (pode? acho q sim)... totalmente decepcionada)...conheci um outro mundo... o do sexo fácil... da libertação sexual. Neste mudo eu vi coisas das quais não quero lembrar e me descobri novamente...
Volto ao meu mundo de origem... 4 anos depois, ciente q daqui nunca mais sairei...
Sou submissa... viverei aqui... e, saber q vc ´de alguma forma tbm se sentiu da mesma forma q eu um dia me senti me deixa aliviada...
O BDSM é maravilhoso... e pavoroso... te trai..
No BDSM tbm conheci mundos diferntes...vi leilões... vivi prazeres, experiências...6 anos são 6 anos...
Não desista... eu vivi vários mundos e só me descobri neste.

Anônimo disse...

Olá!
Puxa...amei... amei prq eu vivi BSDM durante 6 anos..com um mesmo DOM saí prq fui enganada (pode? acho q sim)... totalmente decepcionada)...conheci um outro mundo... o do sexo fácil... da libertação sexual. Neste mudo eu vi coisas das quais não quero lembrar e me descobri novamente...
Volto ao meu mundo de origem... 4 anos depois, ciente q daqui nunca mais sairei...
Sou submissa... viverei aqui... e, saber q vc ´de alguma forma tbm se sentiu da mesma forma q eu um dia me senti me deixa aliviada...
O BDSM é maravilhoso... e pavoroso... te trai..
No BDSM tbm conheci mundos diferntes...vi leilões... vivi prazeres, experiências...6 anos são 6 anos...
Não desista... eu vivi vários mundos e só me descobri neste.